top of page

Livros para fazer a cabeça funcionar



Como sabemos, a leitura é uma ferramenta importante para difusão de conhecimento e também para o entretenimento.


Sendo assim, preparei uma lista com cinco livros que poderão acrescentar algo. São obras que tratam sobre economia e negócios. Selecionei ainda dois livros de ficção, que apesar de não tratarem sobre esses temas, fornecem ideias interessantes.


A Estratégia do Oceano Azul

Autores: W. Chan Kim e Renée Mauborgne. Editora: Elsevier.


Considerado um livro importante nos cursos de Administração, esta obra trata, de maneira prática, sobre uma estratégia de negócio em que uma empresa deve buscar novos mercados, em que predominem a inovação e que o pioneirismo pode dar acesso a um ambiente com menor concorrência.

Na visão dos autores, quando diversas empresas brigam por um mesmo nicho de mercado, a disputa tende a enfraquecer os concorrentes e causa, por consequência, queda nos lucros e receitas. Já no chamado ambiente do Oceano Azul, seria possível criar demandas, produtos e essa regulação daria condições para exploração do mercado com maior lucratividade.

A obra estrutura esse modelo por meio de exemplos práticos e ajuda bastante, principalmente na elaboração de planos de negócios, onde fatores como oportunidades e ameaças precisam ser muito bem analisados.


História da Riqueza no Brasil

Autor: Jorge Caldeira. Editora: Estação Brasil.


Jorge Caldeira tem diversas obras publicadas e seu livro mais conhecido foi “Mauá – Empresário do Império”, no qual traçou biografia de Irineu Evangelista de Sousa, o Barão de Mauá. Neste livro mais recente, o autor traz uma tese interessante sobre a histórica econômica do Brasil.


Talvez o grande mérito seja fugir da leitura mais comum de que o País não tinha, durante a fase em que foi colônia de Portugal, uma estrutura econômica ativa interna.


Caldeira acaba contestando essas teses, principalmente ao trazer números, obtidos por meio de pesquisa histórica. Ao compilar esses dados e utilizar a econometria, o autor consegue reconstituir a dinâmica da economia nacional ao longo de cinco séculos.


Outro mérito do livro está em ter uma prosa que flui e mesmo com suas 622 páginas não é cansativo.


Entendo que deve ser lido não somente como curiosidade histórica, mas também como uma análise do Brasil mais profundo, que nem sempre é tão bem compreendido.


Juros, Moeda e Ortodoxia

Autor: André Lara Resende. Editora: Cia das Letras.


Temos aqui uma obra mais densa, no sentido de trazer fórmulas e discussões teóricas sobre política econômica e seus efeitos. No entanto, a discussão sobre temas como taxa de juros, inflação, desemprego e seu impacto na economia moderna é sempre válida.


André Lara Resende possui larga experiência e já foi presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e diretor do BC (Banco Central).


O livro é relevante justamente por ter sido escrito anos após a crise de 2008, que forneceu subsídios a essa discussão, principalmente pelo fato dos Bancos Centrais de diversos países terem adotado medidas diferentes para tentar solucionar a depressão econômica.


O Leopardo

Autor: Giuseppe Tomasi di Lampedusa. Editora: Cia das Letras.


Ambientado na Sicília no momento em que a Itália vivia seu tenso momento de unificação na segunda metade do século XIX, o livro consegue transcender essa questão temporal.


Ao contar a história de Dom Fabrizio Salina e de sua decadente família aristocrática, o autor faz uma crítica ao apego que as pessoas nutrem ao poder e como manter essas relações tem um custo.


Na história da família Salina são expostos os defeitos comuns, como a falta de planejamento para novas circunstâncias (no caso a unificação do país e a perda de privilégios), a resistência em delegar poder e ainda a corrupção, personificada na relação do chefe da família com prefeitos e deputados.


Além disso, a obra é muito bem escrita, com finas ironias e uma construção bem apurada de como era o clima na Sicília do século retrasado. A edição nova da Cia das Letras tem capa dura e boa qualidade no material.


O Complexo de Portnoy

Autor: Philip Roth. Editora: Cia das Letras.


Eis uma obra polêmica. Lançado em 1969, quando a liberação sexual ainda não era total, o livro chegou a ser proibido em alguns locais. A história é basicamente uma sessão de análise de Alexander Portnoy na qual ele tenta resolver algumas compulsões sexuais.


O tom é irônico e sarcástico e justamente por isso tanta polêmica foi causada na época. Vejo que é uma obra interessante pelo fato de Portnoy ser o embrião do homem moderno, sufocado pelas pressões do cotidiano.


Philip Roth anunciou recentemente sua aposentadoria e frequentemente é citado como um possível ganhador do Nobel de Literatura.

26 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page